Autor: Juliana Megid

    Formada em Economia pelo Insper, com certificação CPA-20. Experiência nos setores de investimentos financeiros e educacional.

A Tributação dos Fundos de Investimento e o Come-Cotas

Nas publicações Renda Fixa – Como funciona a tributação e Renda Variável – Como funciona a tributação, tratamos sobre como devem ser tributados e declarados os investimentos em renda fixa e em renda variável. Como você deve se lembrar, em ambos os casos, os impostos incidem somente sobre os rendimentos das aplicações, no momento em que ocorre o resgate, vencimento ou o pagamento de proventos da mesma.

Os fundos de investimento (FIs), por sua vez, possuem uma particularidade não muito agradável do ponto de vista tributário: diferentemente dos demais ativos financeiros, os FIs podem ter seus impostos cobrados mesmo antes do resgate da aplicação. Essa antecipação da cobrança do Imposto de Renda é o chamado come-cotas

Leia mais

Renda Variável – Como funciona a tributação

Dando continuidade à publicação sobre A Tributação dos Investimentos de Renda Fixa, falaremos das aplicações de renda variável, que abarcam ativos como ações, fundos de investimento imobiliários (FIIs), fundos de índice (ETFs), moedas, ouro – ativo financeiro, opções de ações, dentre outros.

Leia mais
Tributação Renda Fixa

Renda Fixa – Como funciona a tributação

Um dos temas que mais trazem apreensão para as pessoas físicas ao investir é a tributação de suas aplicações financeiras e a sua declaração no Imposto de Renda. E não é para menos: a Receita Federal carece de canais de comunicação com os investidores, especialmente para as pessoas físicas, que muitas vezes se veem perdidas com a falta de clareza das informações.

Leia mais